absoluto

Keep Calm And Carry On

Com certeza você já deve ter visto este cartaz por aí, impresso em papel ou na tela do computador, na versão original ou nos mais diversos remixes e paródias. Mas por que ele faz tanto sucesso e virou um meme? A história do cartaz “Keep Calm and Carry On” tem mais de 70 anos e é fascinante. A saga começa em 1939, às vésperas da Segunda Guerra Mundial, mas o cartaz só virou uma febre a partir do ano 2000, através da livraria Barter Books, localizada na antiga estação ferroviária da pequena cidade de Alnwick, no norte da Inglaterra.

O dono da livraria, Stuart Manley, encontrou um destes cartazes de design minimalista e uma mensagem motivadora no fundo de um baú com livros antigos comprados em um leilão. Ele a esposa Mary mandaram emoldurar e o colocou na parede da livraria. Os clientes gostaram e começaram a pedir cópias. Como a obra já se encontrava em domínio público, eles começaram a fazer cópias e vender. E logo outros começaram a fazer reproduções e colocar em scanecas, camisetas, mouse pads, etc. Segundo a New York Times Magazine, pelo menos um dele fez um bom dinheiro: o produtor de TV Mark Coop comprou o domínio keepcalmandcarryon.com, por onde vende os mais diversos produtos, entre eles capas para iPhone e iPad, cadeiras de praia e bolsas.

O sucesso cresceu ainda mais com a crise econômica global vivida a partir de 2008, e o cartaz virou um hit em empresas financeiras e agências de publicidade, pela mensagem de resistência em um período turbulento. E como vivemos na era em que tudo vira remix, o cartaz e o slogan foram recriados, reinterpretados e parodiados por milhares de anônimos, se espalhando pela internet e viralizados nas redes sociais. O Keep Calm And Carry On virou Keep Calm and Drink Beer, Keep Calm and Call Batman, Keep Calm And Have a Cupcake, ou que não querem saber de ficar calmos, como Now Panic and Freak Out, Stress Out and Throw Vase e o mais pró-ativo Get Excited and Make Things. Este último foi criado pelo designer Matt Jones, que estava mal humorado quando viu um artigo sobre o fenômeno Keep Calm e achou a mensagem “repleta do fatalismo britânico”. Ele acha que nós temos que inventar o caminho para sair dos problemas, e criou a frase “se excite e faça coisas”.

Da 2a Guerra Mundial à era digital

Mas por que o cartaz foi feito e qual era seu propósito original? No ano de 1939, o governo britânico já via como inevitável uma guerra contra a Alemanha nazista, temor que se concretizou em 1o de setembro daquele ano, quando as tropas de Adolf Hitler invadiram a Polônia, e Reino Unido e França declararam guerra à Alemanha, marcando o início da 2a Guerra Mundial. O período que se seguiu foi um dos mais duros da história britânica, com bombardeios constantes às principais cidades, incluindo Londres, e a ameaça iminente de uma invasão nazista à ilha.

Liderado pelo primeiro-ministro Winston Churchill, o povo britânico realizou uma notável resistência aos avanços nazistas, através dos combatentes e também através da determinação da população civil em continuar desafiadoramente levando a vida apesar dos bombardeios e do medo. O Ministério da Informação fez uma bem-sucedida campanha para levantar a moral do povo, e entre suas ações encomendou uma série de três cartazes motivacionais para serem espalhados pelo país.

O planejamento para a criação dos cartazes começou em abril de 1939, ainda antes do início da guerra. A ideia era fazer um design simples, claro, uniformizado e instantaneamente reconhecível: a mensagem em um estilo de fonte simples, sem serifa, em branco sobre um fundo de cores suaves, e apenas um ícone representando a coroa do rei George VI, dando a entender que era uma mensagem direta do rei aos seus súditos.

O primeiro pôster tinha os dizeres: “Freedom Is In Peril. Defend It With All Your Might” (A Liberdade Está Em Perigo. A Defenda Com Todas As Suas Forças). O segundo trazia a mensagem “Your Courage, Your Cheerfulness, Your Resolution, Will Bring Us Victory” (Sua Coragem, Sua Alegria, Sua Determinação, Nos Trarão A Vitória). Ao todo foram impressas 1,2 milhão de cópias destes cartazes. O terceiro trazia a frase “Keep Calm and Carry On”, e seria distribuído só em caso de uma invasão terrestre da Grã Bretanha pelas tropas nazistas, o que nunca ocorreu. Portanto, o terceiro cartaz não foi distribuído e apenas algumas poucas cópias sobreviveram. Uma delas foi a encontrada por Stuart Manley da Barter Books.

Bex Lewis, professora de História da Universidade de Winchester que fez sua tese de doutorado sobre os cartazes de propagandas britânicos na Segunda Guerra, disse na reportagem do New York Times que na época muitos criticaram o tom autoritário e condescendente dos dois primeiros cartazes que foram distribuídos, e os cartazes produzidos depois tinham um tom mais colorido e focado nas pessoas. Ela conclui, e nós concordamos, que o fenômeno e as milhares de remixes do cartaz, mostram que hoje ninguém mais espera que as autoridades ajustem o significado de suas imagens e slogans, nós simplesmente os fazemos nós mesmos!

Mas não deixa de ser curiosa a história de uma peça de propaganda de guerra criada há tantos anos tenha virado um fenômeno viral na era das redes sociais, não acham? Compartilhem sua opinião conosco nos comentários, e cliquem na imagem no alto do post para ver um vídeo muito bacana sobre a história do “Keep Calm And Carry On”.